quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Capitulo 5 - Trasformação.

 
Capitulo 5 - Trasformação.

No segundo seguinte Selena estava jogada no chão, com o  olho esquerdo latejando. Miley sorriu e silabou ameaças, levantou Selena pelos cabelos e a jogou contra o vidro. Algo quente escorreu do coro cabeludo até o chão, e o cheiro de sangue encheu a sala (eu sei que sangue não tem cheiro, mas para mim cheira ferro, ferrugem e algo doce.), formando uma poça no chão, Miley sorriu e novamente golpeou Selena, fazendo atingir com força o sofá.

- Para, por favor. - Selena choramingou em meio da dor.
- Não. - Miley disse sorrindo caminhando entre o sangue.

Dançou e foi chutando Selena, como uma bola. Sorriu maliciosamente e pegou uma faca, aproximou-se de Selena.

- Vai doer mas em você. - Ela riu e foi passando a faca pelo pescoço da garota, tirando um fino filete de sangue.

Miley riu mas ainda e passou o dedo no sangue da garota, e passou nos lábios, segundo mais tarde sentindo o gosto metálico e doce invadir sua boca. Riu mas ainda do que antes e lançou um olhar fatal para Selena, riu novamente e deu outro golpe, fazendo a menina arquear em busca de ar.

- Socorro. - Selena gritou com todas suas forças, engatinhando até a porta.
- Não tão cedo! - Miley disse, levando meio segundo para alcançar Selena.

Chutou a menina na barriga, que bateu de frente com o piano.

- NÃO! - Urrou Nicholas, pegando Selena no ar, com um salto.

Miley apenas riu, olhou a porta, a menos de quatro metros, e então, em 15 milésimos já estava fora da casa, disparando pelas ruas.

[...]

Dor, dor e dor. Três palavras que descreveriam Selena agora, a moça caminhava para a escola, e para sua surpresa, lá estava Miley, sorrindo, mesmo que tivesse um rasgo do tamanho de seis dedos no braço direito, que se curariam em no máximo quatro dias, mas tudo graças a Taylor.

- Sua cara está horrível, Selena. - Miley fez cara de preocupada. - O que houve com você?
- Pelo menos a cara dela tem conserto, a sua só nascendo de novo. - Disse Demi sem emoção, já havia dado uma surra em Miley.
- Tsc tsc. - Miley balançou a cabeça negativamente. - Vou ter que ir na diretoria, você está mal.
- Mal vai estar você. - Selena disse. - Mas posso ir na diretoria, vou dizer, claro, por que eles vão precisar, que o numero da sua casa está errado, caso o diretor precise entrar em contato com a Tish.

Miley ficou branca como papel, e todos ali riram, menos ela.

[...]

- Serio Selena? Vão no minimo me matar. - Queixou-se Miley, depois riu, junto de Sel. - Okey, não no sentindo literal, mas me entendeu.

No último mês muita coisa aconteceu, e digo muita coisa mesmo.

Eu fui um demônio, mas me matei. Depois da morte de Demetria, Victoria Araujo a matou, e eu não aguentei a dor. Mas eu fiquei sabendo que era uma vadia, afinal tinha uma relação complicada com Nicholas e Jack. Sim, eu amava os dois, e esse foi mais um dos motivos a levar meu suicídio. Depois disso, da minha morte - que foi na frente de Nicholas. - Ele jurou que iria me matar, enfim, mas para frente iria funcionar. Reencarnei, e Nicholas me achou. A ideia inicial era me matar, mas no fim acabamos juntos. - mesmo com Jack, e nosso triangulo amoroso. - Tive a minha primeira vez, com Nicholas, e bom, nossa, foi incrível. mas nada é perfeito. Descobri que Nick me mata, aos poucos. É inconsciente, não consegue controlar. Ele rouba minha energia, e assim eu morro aos poucos.

Sim, minha vida é complicada.

- Você consegue. - Disse Demi.
- Tem certeza disso? - Miley perguntou para mim.
- Sim. - Respondi.
- Okey, nós vemos daqui a pouco, Selena. - Demi piscou para mim.

Miley avançou - não como nas outra vezes, afinal retornamos a nossa antiga amizade. -E enterrou as presas em meu pescoço. A dor era alucinante, atordoante. Eu queria morrer, eu teria que morrer. Eu implorava para morrer. mas lá estava Miley, sugando meu sangue, minha energia, minha alma. me contorcia e gritava, meu corpo queimava, ardia. Sufocava. Eu engasgava, estava deplorável. e a dor parecia aumentar, a um ponto que não resisti.

_________________________

Eu sei que esse capitulo está horrível, mas desculpem. Não estou inspirada para escrever hoje, e esse ainda é o penúltimo capitulo. Não me matem, mas essa historia é pequena mesmo, enfim, ela é só uma historinha pequenina mesmo, mas espero que gostem. Amanhã tento postar o ultimo capitulo, suspense haha'

Beijos&Abraços;

Júlia Corrêa.

Lara Salles: BOM, creio que já respondi suas perguntas no msn né flor? kk' enfim, que bom que gostou né? Beeijos e eeu quero saber o porque do seu sub viiu girl?

Demz Lovato ♥: Obrigada, nossa realmente obrigada. meu primeiro selo, realmente MUITO OBRIGADA!

Avisinho rapido!

OOOI meninas, bom eu vim aqui - nem sei com que cara, depois do meus sumiço. - pedir educadamente desculpas, bom a minha semana foi bem intensa e resultou em cansaço. Desculpa mesmo, mas finalmente terminaram as minhas provas \o/. Outro aviso, a fic heart immortal vai acabar em breve, bom, eu descobri que não tenho talento para coisas 'anormais' rsrs' Enfim, é só isso, e a fic nova vai ser muito legal, e bom, não sei quando vai acabar heart immortal, mas eu sei que o final vai ser legal. Okey, não vou mas encher o saco de vocês, afinal já gastei muito o tempo das minha garotas. Beijos&Abraços;

Júlia Corrêa.

sábado, 26 de novembro de 2011

Selo.

arahttp://4.bp.blogspot.com/-MxJkPGVnqgo/Ts6GrJUWtaI/AAAAAAAAALE/zDySw1my5_Y/s1600/Nelena-in-Burnin-Up-Music-Video-nelena-5703565-445-328.jpg 

  • 1. Por que resolveu escrever uma fic ?
  • 2. Qual é sua fic favorita ?
  • 3. Qual é seu casal favorito ?
  • 4. Qual é seu personagem favorito ?
  • 5. Qual o personagem que mais odeia ?  

  • Resolvi criar uma fic por que minha paixão é escrever, definitivamente ela me abre uma porta, onde posso despejar tudo o que sinto, assim como a música, o meu refugio feliz.

  • A minha fanfic preferida se chama 'depois daquela viagem' bý: Ale. Sinceramente, ela é divina, e eu gostaria muito de posta-lá um dia para vocês verem como ela é sinplesmente facinante. 
 
  • Meu casal favorito? Hum, talvez seria Nick&Selena. Mas não é meu favorito, por que eu não tenho.
 
  • Acho que meu personagem favorito seria a Selena, mesmo sabendo que ela errou muito, ela tenta melhorar, fazer o melhor para os outros. E talvez, pensando nós outros ela esqueça dela.
 
  • Sinceramente, não odeio nenhum dos meus personagens, mas vocês devem estar odiando a Miley, certo? rsrs' Bom, toda historia tem sua vilã, e bom...Miley não é uma garota má, ou melhor, ela é, por enquanto. mas o amor que ela tem pela Selena vai ajudar a superar uma magoa, e no final tudo acaba bem, ou não...
 
 
Okey meninas, eu já tomei o tempo de vocês, e agora eu tenho que indicar para 5 blogs (a parte que eu odeio). Enfim, os blogs que indico são:

*-* Para sempre. - Roberta minha paarceira linda.
 


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Capitulo 4 - Coração imortal.

Capitulo 4 - Coração imortal.

- Sim, a eternidade. - Provocou Miley, mas foi calada com um olhar assassino de Taylor.
- Enfim, o que você teve?
- Uma lembrança de outra vida, de quando eu era imortal. - A ultima palavra de Selena soou esquisita, como se ela fosse louca.
- Que lembrança? - Nicholas perguntou raivoso.
- Tenho um pressentimento ruim. - Explicou ela. - Mas meu coração é imortal, e bate por você. - Selena repetiu as palavras, embora eram ditas com tanta sinceridade que chegava a assusta-la.
- A quanto tempo isso acontece? - Perguntou Jack.
- Deste que o Nick me salvou do quase-atropelamento do Taylor. - Respondeu ela.
- Desculpe. - Taylor fez uma cara de culpa. - Estava com fome, não te vi.
- Tudo bem. - Selena disse tentando entender a parte de "estava com fome." - Enfim, mas tarde ganharam mas força.
- Deste quando? - Perguntou Kevin curioso.
- Deste quando vocês mataram a Victoria Araujo no Calpideos. - Selena consegui transformar uma frase daquela numa inocência incrível. - E Demi também tem.
- Serio? - Admirou-se Miley.
- Aham. - Selena respondeu constrangida. - Agora me diga vocês, o que me escondem?
- Muita coisa. - Debochou Miley.
 - Quero ver sua cara de sabichona depois que eu quebrar a sua cara, sua grande bosta de estrume. - Ameaçou Taylor e Selena riu.
- Acho bom tentar. - Miley retrucou friamente. - Quero descontar minha raiva alguém.
- Raiva ou culpa? - Selena disse timidamente, mas por cargas d'água! Miley havia tentado a matar! Ela não podia ser boazinha com ela!
- Trouxa. - Miley resmungou baixo, fazendo que todos menos Selena (que claramente não era capaz de ouvir) escutasse.
- Diga. - pediu Selena.
- Não somos humanos Selena, não somos normais. Nós somos provavelmente as piores coisas da Terra, nós somos... demônios.
Selena olhou para os lados, atordoada. Era demais para ela, olhou para Miley, sua ex-amiga que deveria estar morta. Deixou lágrimas escorrem.

- Por que? - Sussurrou a menina.
- Selena, olha nós não temos escolha... - Taylor começou mas Selena balançou a cabeça negativamente.
- Porque, Miley? - Perguntou a menina.
- O que é? - Resmungou Miley.

Selena a encarou, aqueles olhos vermelhos sangue.

- Sabe o que eu fiz todos esses anos, deste a sua explendida morte? - Selena perguntou. - Sofri, lidei com a dor, como se fosse destinada à ela. Chorei, reneguei a sua ida. Você viu, você pode ver toda minha dor, todo o meu sofrimento. E mesmo assim, depois de tudo, resolveu se calar. Apenas me observar caindo, me perdendo na imensa dor. - Selena deixava as lágrimas descerem. - Mas mesmo assim esqueceu de tudo, de todas as promessas, lembranças.
- Eu mudei. - Miley disse sem emoção. - Sou uma estrela, você sabe disso. Uma estrela forte, feita para brilhar. - Miley disse debochando.

E ali, quase colada a porta, se encontrava Demetria, quase estática, absorvendo aquela cena.

- Não se preocupe, M. As estrelas mais fortes, queimam mais rápido. Ou pelo menos foi isso que eu ouvi dizer. - Selena disse friamente. - Espero ver uma estrela cair.

E dito isso, Selena se virou, deixando Miley estática ali, vendo suas duas melhores amigas se abraçando. Seus olhos vermelhos sangue se dissolveram, ficando naquele tão conhecido azul.

- Contem a verdade mas tarde, eu tenho tempo. - Selena disse saindo, sentindo o vento gélido golpear a delicada pele.

A garota sentou-se no meio fio, encarou a enorme casa a sua frente, e abaixou o olhar. O vento batia levemente nos cachos castanhos da menina, e Jack caminhava na direção dela. Quando um leve som ao seu lado a despertou, ela se levantou e encarou o menino.

- Sim? - Respondeu ela.
- Precisamos conversar, vamos para minha casa. - Jack disse abrindo a porta da carona para a garota, que deslizou para o interior do carro.

Selena parecia estupefata, como se tivesse levado uma bordoada. Demônio. Aquela palavra parecia atormentar sua mente, sua alma, seu ser. Olhou para o lado, quando um maldito flash veio a sua mente.

- Não vou fazer isso. - Selena dizia.
- Quer morrer de fome? - Nicholas olhou para ela.
- Não, mas não quero matar alguém para saciar minha fome. - Ela choramingou.
- Já é tarde. - Nick disse olhando para a garota que Selena, bem...matará.

Selena olhou a garota, viu o sangue quente escorrendo pelo corpo frágil e sem vida, e sem conseguir se controlar, pulou, saciando sua fome. Um sorriso brotou em seus lábios, olhando a garota mutilada no chão, brincando com os dedos dela.

- Foi bom te conhecer, Mellany. Você foi muuuito útil. - Uma soltou uma gargalhada, abraçando Nicholas.


Selena olhou horrorizada para Jack, sentindo nojo de si mesma. Ela fora cruel, maldosa.

- Jack, quem são...você-sabe-o-que? - Perguntou se sentindo um tanto ridícula.

Ele riu pelo nariz e quando chegaram respondeu:

- Eu, Taylor, os Jonas, Miley e a mais nova demoníaca Demetria. - Selena olhou chocada. - Não se assuste.

E por incrível que pareça, Selena não se assustou. Talvez aquilo fosse seu destino,por mas que ela quisesse mudar, a vida lá estaria, oferecendo tudo o que ela menos queria, a imortalidade. Queria um meio termo, uma desculpa, uma saída. Desesperadamente.

- E vocês ainda matam?
- Não, nós alimentamos dos sentimentos, alegria, amor, essas coisas. Absorvemos energia, de um modo geral. - Ele fez uma careta. - Mas a pessoa recupera o que tiramos dentro de duas horas.
- Dementador. - Selena torceu o nariz, aquilo também não era o que queria.
- Talvez.- Jack deu os ombros finalmente saindo do carro, e abrindo a porta para Selena.
- Jack, o que aconteceu comigo? - perguntou de repente.
- Se matou. - Suspirou, abrindo o jogo.
- Como?

A menina ofegou, sentando-se no sofá. Olhou em volta, e Jack sentou ao seu lado, se aconchegou e colocou a cabeça no peito do menino ao seu lado, deixando as lágrimas descerem. Estava na hora dela lidar com a realidade, por mas que doesse.

- Selena, não me leve a mal, mas você tem que saber só o essencial. - Jack suspirou. - Eu vou te contar, prometo.
- Confio em você.
- É tudo que eu preciso ouvir no momento. - Disse Jack, por fim.

Selena estava sentada, olhando o jardim quando o Ranger 2011 prata de Nicholas, carinhosamente apelidado de 'mostro' por Selena estacionava, a garota levantou-se em um pulo e então abriu a porta e deslizou para o interior do carro, deu um selinho rápido em Nicholas e colocou o cinto.

- Bom dia. - Nicholas disse colocando mostro novamente em movimento.

Nicholas parecia não querer encara-la, e aquilo a matava. Selena o amava, e isto estava claro, mas a garota ainda sentia-se culpada pela sua última vida.

- Bom dia, Nick. - Selena sentia-se inquieta. - Nick, aconteceu algo?
- Não. - Mentiu ele com a voz clara. - está tudo bem, meu amor.
- Okey. - Selena olhou para a rua, mas seus olhos se prenderam no colarinho de Nicholas, que estava totalmente errado. Ela riu enquanto ele estacionava  e então arrumou delicadamente.
- Obrigado. - Disse enquanto abria a porta para a moça.

Ele entrelaçou as mãos de ambos, e então foram para o refeitório, estavam no meio do segundo bimestre.

- SELENA! - Demi gritou, olhando a melhor amiga.
- Não grite, pelo amor de Deus. - Implorou. - O que aconteceu com você?

Demi estava com um arranhão no pescoço, nada preocupante, apenas um arranhão.

- Miley. - deu os ombros.

Selena riu, Miley no minino devia estar acabada, a nova 'Demi' era incrivelmente forte.

[...]

- Jack? - Selena perguntou entrando na casa do amigo, e jogando a bolsa no sofá. - está ai?

A menina guardou as copias da chave da casa de Jack na sua bolsa e foi para a cozinha, sala, copa. Nada. Subiu as escadas, foi para o quarto de Jack, a sala de cima, seu quarto, nada. Desceu novamente, e ali teve a surpresa.

- Olá, Gomez. - Miley disse.
- O que faz aqui? - Selena quis saber.
- Eu moro aqui. - Ela riu. - Mas foi muito bom você ter vindo, podemos nós divertir.
- Sabe que vão nós achar, que Jack e Nick vão querer te matar, coisa que Taylor quer fazer há algum tempo. - Selena começou.
- Mas enquanto eles não chegam, que tal começarmos a nossa party particular?
- Não tenho medo de você, Cyrus.
- Eu sei, na verdade me ama. - Miley disse se aproximando.
- Você não sabe o que é amor.
- Ah, sei sim. Alias, estava muito feliz com seu precioso Nicholas, mas você chegou e estragou tudo, sua nojentinha. - Miley a olhou furiosa.
- Mentirosa. - Selena acusou.
- CLARO QUE NÃO!  EU ESTAVA MUITO FELIZ, COM O MEU NICHOLAS, ATÉ VOCÊ CHEGAR! EU O AMAVA, E ELE TAMBÉM! OU ACHA QUE SE NÃO FOSSE POR ISSO ELE NÃO ME TRANSFORMARIA? - Miley gritou.
- NÃO! MENTIRA! - Selena gritava, com os olhos cheios de lágrimas, Nicholas e ela, numa cama...
- AGORA VOCÊ VAI ME PAGAR! - Miley gritou avançando para Selena.

E ali começava uma briga, na qual Selena não conseguiria sair viva.

___________________________

No próximo capitulo:

- Vai doer mas em você. - Ela riu e foi passando a faca pelo pescoço da garota, tirando um fino filete de sangue.

Miley riu mas aida e passou o dedo no sangue da garota, e passou nos lábios, segundo mais tarde sentindo o gosto metalico e doce invadir sua boca. Riu mas ainda do que antes e lançou um olhar fatal para Selena, riu novamente e deu outro golpe, fazendo a menina arquear em busca de ar.

- Socorro. - Selena gritou com todas suas forças, engatinhando até a porta.
- Não tão cedo! - Miley disse, levando meio segundo para alcançar Selena.

Chutou a menina na barriga, que bateu de frente com o piano.

- NÃO! - Urrou Nicholas, pegando Selena no ar, com um salto.

Miley apenas riu, olhou a porta, a menos de quatro metros, e então, em 15 milesimos já estava fora da casa, disparando pelas ruas.



Meninas MIL desculpas pela demora, mas eu to tendo provas deste segunda e só acaba dia 7/12, ou seja: menos tempo. E eu vim postar hoje por que amanhã tenho prova de artes: vou mal por natureza (a minha professora é doidona). Enfim, esse capitulo não ficou muito bom, e aviso: não vou colocar No próximo capitulo por que ainda não escrevi ele, mas quando escrever eu atualizo este post.

Lara...^.^...Desenrolados!!! : Que bom que gostou amorzinho! e por favor, entre em contado comigo, sabe? para me dizer no que eu devo melhorar! Afinal estou aqui para agradar vocês! (msn: julia.semilovato@yahoo.com.br) e bom, é a minha primeira fic de suspense, portanto tenha paciência! E bom, muito obrigada e beijos!

Beijos, Xoxo.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Capitulo 3 - Perto da verdade.

Capitulo 3 - Perto da verdade.

Selena batucava os dedos no volante, inquieta. Olhou para Demetria, que parecia submersa em pensamentos. Revirou os olhos e quando o sinal abriu continuou dirigindo. Estacionou o carro e como num choque viu aqueles olhos. Demetria olhou Selena amedrontada. Aquilo não era real, não podia. Porém, lá estava ela.

Com os cabelos ruivos que iam até a cintura, e os olhos vermelhos sádicos. Um sorriso ameaçador brincava em seus lábios. Os feições, o corpo. Tudo, absolutamente tudo lembrava a ela. Selena a encarou, e então tudo começou a girar. Demetria arregalava os olhos, e gritos ecoaram em suas mentes. Como numa cena de terror, tudo ficou escuro, e só se podia ver a garota, com seu sorriso sádico se aproximando lentamente, com uma excitação. Olhou para os lados, antes de saltar, e Selena entrar na frente de Demetria, a protegendo do ataque. Com uma dor imensa, e metade do braço rasgado, pulsando sangue, Selena fechou os olhos, sentindo a dor nocautea-la.

[...]

- Era para você cuidar dela, Jack. - Nicholas dizia nervoso.
- A culpa não é minha, Nicholas. - Defendeu-se Jack. - Eu não fazia ideia que ela chegaria hoje.
- Chega, alguém tem que explicar para a Selena. - Demi se intrometeu. - A sádica iria me atacar.
- Como? - Taylor indagou.
- Simples, Selena entrou na minha frente, e foi assim que ela conseguiu o lindo brinde que está no braço dela agora. - Demetria disse ironica.
- Ela ia te atacar? - Joseph perguntou.
- Não Joseph, ela ia me chamar para tomar chá! Mas consequentemente esse chá iria acabar com metade do braço rasgado! - Demetria disse irritada.
- O que vamos fazer? - Gemeu Kevin.
- Contar a verdade! - Gritou Demetria. - Até quando vão continuar mentindo para nós?
- Você já sabe da historia. - Joseph interrompeu.
- Tanto faz. - Demetria disse. - Não tive escolha, lembra? - ela suspirou. - Quanto tempo?
- Um mês. - Nicholas disse olhando Selena. - Como acha que ela vai...reagir com isso?
- O que você tem na cabeça? - Demetria perguntou indignada. - Oi Selena, sabe , dentro de um mês você vai se transformar em...

Tayor tapou a boca de Demetria, e ela apenas rolou os olhos, foi até a cama da amiga e acariciou seus cabelos.

- Vai dar tudo certo, eu prometo. - Demetria sussurrou.
- É o que eu espero. - Jack disse.
- Jack, quanto tempo eu...tenho? - Demetria perguntou aturdida.
- Meia hora. - Ele suspirou. - Joseph vai com você. Tem certeza?
- Nunca estive tão certa de algo em toda a minha vida. - A garota acariciou os cabelos da amiga, que abria os olhos lentamente e sorria para Demi.

A garota tomou ar, deixou lágrimas descerem e disse:

- Heey, Sel. Lembra que quando éramos pequenas e nos preocupávamos em somente dividir o lanche e correr uma atrás da outra no parquinho? Nós nem sabíamos o que era shopping. - as duas riram - O tempo passou e a nossa amizade somente aumentou, algum tempo depois fizemos outra amiga, ela tinha os cabelos ruivos na altura da cintura, olhos azuis e era linda, estonteante. Era perfeita, linda, honesta e fiel, sempre ficamos juntas, até aquele dia. - Selena começou a chorar - O carro veio na direção do táxi e você tentou nós proteger, ficou na UTI por dois meses, e por muito pouco não morreu, ficou ligada a aparelhos. - Ambas já choravam. - E a nossa amiga teve morte após um mês lutando pela sua vida. Íamos ver ela todos os dias, você fugia do seu quarto e dizia que tudo ia ficar bem, até que ela se foi. Um acontecimento horrível, você piorou e achei que tudo estava acabado. Mas no fim algo de bom aconteceu, não é? - Demi sorriu fraco. - E olha para você, super heroína, não é? Sempre me salvando. E olha que a sua 'agressora' era a nossa melhor amiga, era a nossa Miley. Aquela que rasgou seu braço, a nossa Smiley. - Selena e Demetria fungaram alto. - E eu quero que saiba, que independentemente de tudo eu sempre vou amar você, e finalmente, depois de tudo, seremos iguais novamente. Eu tenho que ir, mas isso não quer dizer que vou te deixar.
- Demi, você...que? - Selena sussurrou.
- Selena, eu prometo que sempre vou ficar ao seu lado. - Demi disse sendo arrastado por Joe. - Eu te amo!
- EU TAMBÉM! - Selena gritou para Demi que saia do quarto.

Demetria seguiu Joseph até o carro, engoliu o seco a deslizou para o banco de carona quando Joe abriu a porta para ela. Rezou mentalmente, e deixou a sua mente fluir, lutando contra as lágrimas. Joseph, por sua vez, estava tenso, tentando lutar contra os pensamentos e sentimentos que borbulhavam dentro de si. Olhou para os lados, tenso e nervoso, e abriu a porta para a donzela que estava dentro do carro. Demetria saiu e olhou para os lados, sentindo o vento cortante contra seu delicado pescoço exposto.

- Tem certeza? - Joseph fez eco da pergunta de Jack.
- Sim. - Demetria, delicadamente, afastou o cachecol do pescoço meio exposto, que agora ficava totalmente.

Joseph avançou, segurou Demi firme em seus braços, e a levantou. Deitou-a no capo do carro delicadamente, atento a qualquer sinal dela.

- Joseph, - Demetria chamou baixo. - sou sua, sempre fui.

E aquilo foi tudo que Joseph precisou.

[...]

- NÃO, NÃO E NÃO! - A garota ruiva urrou para Jack, que a encarava entendiado.
- Sim, e não se fala mas nisso. Não vou tolerar que isso se repita. És uma louca, jovem donzela demoníaca. - Jack disse, falando como se fosse de outro século.
- Por tudo que é sagrado. - A ruiva disse sacudindo os cabelos. - Entendo que você não queira que eu não toque na amada, frágil e inocente Selena. - Ela disse ironica. - Mas isso já é demais, só uma surra.
- Surra eu dou em você. - Taylor se meteu no meio. - Vou deixar sua cara mais amassada do que de um bulldog.
- Vai ser engraçado ver você tentar. - retrucou ela.

Kevin revirou os olhos, aquilo era patético. Porém, o que estava em jogo era a segurança de Selena.

- Olha só Miley, quero você longe da Selena, entendeu? - Nicholas disse inflamado de fúria.
- Quem te garante que não é ela que queira distancia de você? - Provocou. - Que eu saiba foi ela que de um jeito de se livrar de você, não é? Mas infelizmente nem na outra reencarnação ela se livrou, não? Coitada...talvez outra reencarnação e ela esteja livre, posso me encarregar disso perfeitamente.
- CALA A BOCA! - Nicholas gritou.
- Vadia. - resmungou Taylor.
- Vadio. - Uma Miley inflamada retrucou instantaneamente.
- Parou tudo, conversem como humanos e não como animais. - Repreendeu Kevin.
- É você fala isso numa sala onde tem tudo, menos humanos? - Jack disse rindo.
- Não seja dramático. - Disse Taylor gargalhando. - Acho que ela acordou novamente. - ela olhou serio para Miley. - Uma gracinha sua e estouro seus miolos.
- Quero ver tentar. - A ruiva disse debochando.

Mas Taylor não teve tempo para responder, Selena escancarou a porta com o rosto lavado em lágrimas, se encolheu com o olhar sádico de Miley e se sentou no colo de Nicholas, se encolhendo.

- Cadê a Demi? - Perguntou depois de longos trinta minutos em silêncio. Sua voz calma e doce encheu a sala, fazendo Miley contrair o rosto.
- Saiu com o Joseph. - respondeu Nicholas passando a mão nas costas de Selena, acariciando.
- Ela me prometeu que nunca ia me deixar, como já fizeram um dia. - Ela disse se lembrando de algo e soltando mas lágrimas.
- Não tive culpa, tá legal? - Miley disse arrogante, limpando uma única lágrima.
- Acho que está na hora de você saber a verdade, Selena. - Jack pronunciou.
- Este tempo todo você esteve perto da verdade. - Completou Kevin.
- E agora está na hora de você saber o que escondemos, está na hora de você saber tudo, sem segredos. - Nicholas disse para Selena.

A garota se lembrou com clareza da primeira vez que viu nicholas, e já era consciente do sentimento que guardava dentro de si.

...

Selena estava pinturada na janela, lutando contra suas pálpebras que caiam e que a garota logo as abria, inconsciente de seu ato. Olhou novamente a rua deserta, iluminando o meio fio pela forte luz do poste. Piscou duas vezes quando um farol iluminou a rua mas ainda. O carro estacionou na casa ao lado da Rua dos Álpicedos, número 4. A menina saiu correndo, foi para a frente do espelho, fez uma cara sonolenta e foi para a janela como quem não queria nada. Deixou os olhos vagarem pela rua e pararem em Nicholas, que sorriu abertamente ao ver a cara amassada de sono da menina. - claramente fingindo, em um talento excepcional. Ela acenou brevemente, e fechou a janela, puxando a cortina floral logo em seguida. Sorriu consigo mesma e no outro segundo estava jogada na cama, ressonando tranquilamente. Talvez, inconsciente do sentimento que surgia a partir daquele momento.


...

Selena respirou fundo, e um flash mas uma lembrança veio a mente.

- Anda. - Selena reclamava para Nicholas, e depois selavas seus lábios nos dele.
- Assim não dá, amor. - Ele riu.

A garota não se importou, deitou-se ao lado dele, beijou o ombro do homem ao seu lado e voltou a admirar o céu.

- Poderia passar minha vida inteira vendo isso.  - Ela suspirou.
- A vida inteira não, talvez o resto da noite, a vida é muita coisa, contando que temos a eternidade.
- Eu amo você, Nicholas. -A garota disse. - Sempre vou amar, não importa quantas vezes eu morrer e voltar.
- Você não vai morrer. - Nicholas disse abraçando Selena.
- Tenho um pressentimento ruim. - Explicou ela. - Mas o meu coração é imortal, e bate por você.


Selena voltou a tona, com as mão de Nicholas ao seu redor.

- O que aconteceu? - Kevin perguntou.
- Mas uma lembrança. - Ela deu os ombros. - Me expliquem.
- Não, você primeiro. - Exigiu Nicholas.
- Não, explico no meio da conversa. Assim entendemos tudo.
- Tudo bem, temos tempo. - Nick disse.
- Eu sei, a eternidade. - Completou Selena, e todas naquela sala gelaram.

________________________________________________________________

Heey galera! Desculpe por não postar esses dias, mas eu cheguei em casa ontem (15/11) de madrugada - ou seja, duas da manhã, e só fui dormir uma hora depois - E eu estava MEGA cansada né? Sem contar que ficar cinco horas em cima de um salto alto para cima e para baixo cansa pra caramba né? Enfim, esse capitulo acho que foi meio tenso né? OMG o que aconteceu com a Demi? E a Miley? Ela é do bem ou do Mal?? E a Selena, vai descobrir a verdade? Não percam do capitulo 4 de heart immortal!


No próximo capitulo: (capitulo 4 - Coração imortal)


" [..]


- Que lembrança? - Nicholas perguntou raivoso.
- Tenho um pressentimento ruin. - Explicou ela. - Mas meu coração é imortal, e bate por você. - Selena repetiu as palavras, embora eram ditas com tando sinceridade que chegava a assusta-la.
- A quanto tempo isso acontece? - Perguntou Jack.
- Deste que o Nick me salvou do quase-atropelamento do Taylor. - Respondeu ela.
- Desculpe. - Taylor fez uma cara de culpa. - Estava com fome, não te vi.
- Tudo bem. - Selena disse tentando entender a parte de "estava com fome." - Enfim, mas tarde ganharam mas força.
- Deste quando? - Perguntou Kevin curioso.
- Deste quando vocês mataram a Victoria Araujo no Calpideos. - Selena consegui transformar uma frase daquela numa inocencia incrivel. - E Demi também tem.
- Serio? - Admirou-se Miley.
- Aham. - Selena respondeu constrangida. - Agora me diga vocês, o que me escondem?
- Muita coisa. - Debochou Miley.
 - Quero ver sua cara de sabichona depois que eu quebrar a sua cara, sua grande bosta de estrume. - Ameaçou Taylor e Selena riu.
- Acho bom tentar. - Miley retrucou friamente. - Quero descontar minha raiva alguém?
- Raiva ou culpa? - Selena disse timidamente, mas por cargas d'água! Miley havia tentado a matar! Ela não podia ser boazinha com ela!
- Trouxa. - Miley resmungou baixo, fazendo que todos menos Selena (que claramente não era capaz de ouvir) escutase.
- Diga. - pediu Selena.
- Não somos humanos Selena, não somos normais. Nós somos provavelmente as piores coisas da Terra, nós somos... demonios. "


----------------------------------------

Respondendo os comentarios:

Charli: Owwn coração, que bom que gostou do blog e da historia.Na verdade eu nem sabia o que iria escrever, a ideia basica era uma Fan Fiction onde melhores amigos se apaixonavam, mas quando escrevia o primeiro e segundo capitulo a historia se disolveu no meu sub-consiente e acabou que eu escrevi algo sem perceber, e quando li adorei! E desculpe a demora por postar, mas minha vida anda um pouquinho corrida, sabe? E divulgo sim, sua linda! E eu amei seu blog, a sinopse que você colocou lá, e eu já estou seguindo como 'Júlia Corrêa'...POSTA LOGo lá viu?!

Nelenandrock: Owwwn't, serio cada comentario que vocês dizem " eu amei o blog " ou então "adorei a fic" já me faz muito bem, e que bom que você gostou, afinal estou aqui para a agradar você, né?

Divulgação.

Mensagem oculta by Charli

Okey, agora eu vou de verdade, Beijos&Abraços!

sábado, 12 de novembro de 2011

Capitulo dois - Rua álpicedo, número 13.

 
Capitulo dois - Rua álpicedo, número 13.

A rua estava completamente deserta, e os passos de Selena no concreto pareciam fazer um barulho absurdamente alto para ela. Os postes de luz iluminavam a rua fracamente, e as vezes falhavam, dando o ar misterioso e amedrontante. A menina ofegou, e parou por um momento. Olhou discretamente para trás, vendo uma sombra sumir. Girou o corpo quase como uma rapidez surreal, varreu os olhos pela rua e parou no numero 13. A porta acabava de ser aberta, mas consequentemente, a pessoa era muito rápida. Em questão de milésimos Selena já o tinha perdido de vista. Andou novamente, mas depressa, mas logo parou quando um farol a cegou instantaneamente. Sentiu seu copo ser lançado para o outro lado, um corpo quente em baixo do seu soltou alguns palavrões baixos, mas a garota ouviu. Abriu as pálpebras levemente molhadas e virou a cabeça para o lado, ao ouvir um som.

- Tudo bem Selena, era só uma raposa. - O garoto dizia enquanto a raposa se aconchegava no topo do pequeno monte de terra com uma grama verde viva de um jeito pomposo.
- Nick, o que foi aquilo? - Selena perguntou tremula, observando as marcas de pneus no asfalto.
- Ah. - Nicholas disse acompanhado o olhar da garota. - Foi só o Taylor, que tem estrume de vaca na cabeça, só pode. - Selena riu baixinho.
- Quem é Taylor? - Indagou a menina se levantando junto com Nicholas.

"Droga" - Pensou o Menino.

- Tudo ao seu tempo, Sel. - Ele disse sumindo de vista, virando a esquina.

Selena olhou para ele, incrédula. Respirou fundo, contendo um grito de horror.

- O que foi isso, afinal? - Sussurrou e correu até a sua casa. Olhou para o lado e viu Demi andando no quarto, sorriu aliviada, e andou até a porta da casa da amiga, pegou as chaves que ela tinha e abriu e trancou a casa, respectivamente. Chegou ao quarto da amiga e desabou em lágrimas. O que estava acontecendo, afinal? E quem era Taylor?

[...]

23 de novembro de 2005.

Querido diario;

Minha vida tem sido completamente estranha. Me sinto diferente, e talvez minha vida pudesse dar um bom livro do Nicholas Sparks .

Um acontecimento estranho ocorreu aqui em Litlle Wenthyndith, há cerca de três dias, foi perto dos Álpicedos, os boatos dizem que foi na rua Calpideos, na calçada do número 5. Mas o que me alarmou foi que os boatos eram verdadeiros. Eu vi, passava com Demi por ali, de carro, claro. Cinco pares de olhos vermelhos encaravam a loira jogada no chão, com o pescoço vermelho, jorrando sangue. Os olhos impiedosos, transbordando fúria. Ódio. A loira chamava-se Victoria Araujo, e tinha 17 anos. Seus olhos permaneciam abertos, em um vermelho sangue. E eu vi aquelas pupilas vermelhas perderem a vida...e se fecharem, para...sempre. Mas não antes de ouvir o grito esganiçado, desconfigurado. Agonia, era o que o grito transmitia. Um grito que vem me perturbando nos meus sonhos ultimamente, que envolvem Nicholas, Joseph, Kevin, Taylor e Jack. Não conheço os dois últimos, mas os sonhos parecem mais flashes de uma vida passada, que eu era igual...a eles. Enfim, novamente algo estranho aconteceu, e eu estava presente no ambiente. O engraçado é que sempre se passa da meia noite, e a rua está deserta. Tem algo acontecendo, e garanto que não é bom. Mas eu sei muito bem a quem aqueles olhos pertencem, aquelas íris vermelhas que tanto me perturbam. E estou disposta a saber o que está acontecendo.

Beijos e com amor;

Selena Gomez.

- Selena, não acha que...eles tem alguma coisa a ver, não? - Demi perguntou.
- Sinceramente? - A amiga acenou positivamente para Selena. - Sim, e vamos descobrir isso agora.

As meninas saíram para a manha cortante, caminhando até a cozinha da familia Jonas. Todos estavam lá, até Taylor e Jack.

- O que está acontecendo, afinal? - Selena perguntou de queixo trincado com Demetria ao seu lado. Os mesmos sonhos as perturbavam havia algum tempo, e agora era o hora de obter respostas.
- Como assim. querida? - Denise dizia com os olhos arregalados.
- Denise, por favor, apenas escute. Escute todos vocês.
- Tudo bem Demi. - Joe suspirou pesado.

Demi tomou ar e começou.

- Litlle Wenthyndith era um lugar muito pacato, até uma certa família chegar. - Ela segurou as lágrimas e continuou. - Mas não desconfiávamos de nada. Até uma certa noite, na rua dos Álpicedos. Era noite, se passava de meia noite quando um farol iluminou a rua, deserta. E do nada o Nicholas salvou a Selena. Ele estava a seguindo, mas como ele chegou tão rápido a ela? E como ele vez isso? Como ele sabia que Taylor ia chegar até a Selena?

- Você me conhece? - Taylor perguntou reprimindo um sorrisinho.
- Óbvio, não é mesmo Jack? - Jack a [olhou demetria] fitou assustado e deu um leve sorriso.
- Você se lembra de alguma coisa? - Jack perguntou.
- As lembranças, sonhos ou seja lá o que seja vem como flashes para nós. - Demetria apontou para si mesma e Selena.
- Ah. - Kevin disse.

Demetria tomou uma golfada de ar e continuou:

- Então, novamente de madrugada algo estranho acontece no Calpideos, número 5. - Os Jonas, Taylor e Jack gelaram na hora. - E os boatos se confirmaram corretos, apesar de ninguém saber ao certo quem foram que mataram Victoria Araujo. - Todos da sala relaxaram. - Todos menos duas pessoas, que casualmente estão nessa sala.

Os Jonas, Jack e Taylor se entre olharam, sabiam que aquela não era a hora certa.

- Cinco pares de olhos vermelhos sangue, como os de Victoria. - Selena continuou. - Olhos vermelhos impiedosos, transbordando fúria.
- Diga em voz alta e clara o que somos, Selena. - Nick disse.
- Por que você não diz, Nicholas? - Selena provocou.
- 1759, não? - Demi disse apontando para Joseph. - É por ai não é mesmo?
- Co-como sabe? - Joseph perguntou, mesmo que ela tivesse errado, era algo relativamente perto do certo.
- Como não saber? - Ela retrucou.
- O que faziam tão tarde? Onde vão todas as noites? - Nick quis saber.
- Tudo a sua hora, Nicholas. - Selena jogou as palavras de Nicholas havia usado na noite da rua dos Álpicideos, número 13.

_______________________________

Heey meninas, espero que gostem desse capitulo, e bom, espero estar agradando vocês ;D

No próximo capitulo:

" - Era para você cuidar dela, Jack. - Nicholas dizia nervoso.
- A culpa não é minha, Nicholas. - Defendeu-se Jack. - Eu não fazia ideia que ela chegaria hoje.
- Chega, alguém tem que explicar para a Selena. - Demi se intrometeu. - A sádica iria me atacar.
- Como? - Taylor indagou.
- Simples, Selena entrou na minha frente, e foi assim que ela conseguiu o lindo brinde que está no braço dela agora. - Demetria disse irónica.
- Ela ia te atacar? - Joseph perguntou.
- Não Joseph, ela ia me chamar para tomar chá! Mas consequentemente esse chá iria acabar com metade do braço rasgado! - Demetria disse irritada.
- O que vamos fazer? - Gemeu Kevin.
- Contar a verdade! - Gritou Demetria. - Até quando vão continuar mentindo para nós?
- Você já sabe da historia. - Joseph interrompeu.
- Tanto faz. - Demetria disse. - Não tive escolha, lembra? - ela suspirou. - Quanto tempo?
- Um mês. - Nicholas disse olhando Selena. - Como acha que ela vai...reagir com isso?
- O que você tem na cabeça? - Demetria perguntou indignada. - Oi Selena, sabe , dentro de um mês você vai se transformar em...

Tayor tapou a boca de Demetria, e ela apenas rolou os olhos, foi até a cama da amiga e acariciou seus cabelos.

- Vai dar tudo certo, eu prometo. - Demetria sussurrou... "


Capitulo um - Selena Marie Gomez.


Capitulo um - Selena Marie Gomez.

Selena abriu o seu amplo closet e seguiu para seu banheiro, fazendo sua higiene matinal. Se olhou no espelho, passou um rimel, blush e gloss e correu até a cozinha. Varreu seus olhos pelo andar de baixo e parou ao olhar o bilhete de seus pais.

- Outra viagem. - Ela resmungou consigo mesma. - Patético.

Ela deu os ombros e seguiu para a cozinha, e sufocou um grito ao encontrar Mary, a governanta da mansão dos Gomez.

- MARY! QUANTO TEMPO! - Ela berrou indo abraçar a mulher.

Mary era linda, estonteante. Tinha 35 anos, mas passava facilmente por 22, seus cabelos pendiam até a metade das costas, num castanho intenso. Seus olhos verdes musgo e uma pele levemente morena davam a impressão que ela poderia ser uma miss num piscar de olhos, se Mary gostasse destas coisas. A mulher olhou Selena com um olhar maternal e por fim disse:

- Tudo bem, querida?
- Claro, Mary. - Selena respondeu animada. - Hoje começa o ano letivo!
- Sim, eu sei disso. - Mary lhe lançou um olhar afectivo. - Novidades?
- Várias. - Selena disse se lançando um uma detalhada historia sobre sua ida a Paris com Demi.

Mary prestava atenção no que a menina falava, sorrindo e dando leves risadas em partes engraçadas, rindo dos apuros que as meninas passavam. Selena fez uma careta assim que terminou de contar, seguindo o olhar para a porta, que acabava de ser tocada.

- Eu vou. - Mary disse sorrindo, andando até a porta, com Selena em seu encalço.
- BAYLOR! - A menina gritou ao ver seu cachorrinho de olhos azuis gelo se remexer animado no colo da melhor amiga.
- Oi para você, Selena. - Demetria revirou os olhos. - Oi tia Mary.
- Olá querida. - Mary respondeu enquanto Selena agarrava Baylor em seus braços e brincava com ele.
- Hey Sel, deixe o Baylor quieto. - Demi disse. - Acho que tem gente vindo para cá.

Selena fez uma careta e colocou Baylor no chão, andou até a porta junto com as outras duas mulheres e assim que a campainha ressoou pela casa a menina abriu a porta com seu melhor sorriso. Olhou curiosa para a família que sorria para ela, Demi deu uma cotovelada nas costelas de Selena e ela gemeu baixo. Mary tomou a frente e sorriu para a família a sua frente.

- Bom dia. - Mary disse. - Vocês devem ser a família Jonas certo?
- Sim. - A única mulher dali disse. - Sou a Denise, e é um prazer enorme conhecer a família Gomez.

Selena fez uma careta e Demi apenas riu.

- É um prazer enorme conhecer vocês, Denise. - Demi disse. - Mas, infelizmente, o Sr. e a Sra. Gomez não estão presentes.
- Ah, desculpe-me. - Denise riu envergonhada.
- Não foi nada. - Selena assegurou. - Elas são da família.
- Bom, estas são Selena Gomez. - Mary apontou para Selena que cumprimentou a família. - Demetria Lovato.
- Só Demi, por favor. - A garota pediu. - Demetria dá a impressão que fiz algo errado. - Ela fez uma careta.
- Então você deve ser a famosa Demi, não é?- O homem que aparentava ter 40 anos falou.
- Demi sim, famosa ainda não. - A menina disse arrancando gargalhada de todos.
- Fomos na sua casa, hoje mas cedo. - Um menino que aparentava ter mais ou menos a idade dela disse. - Mas seus pais disseram que você estava na casa da sua melhor amiga. - Ele sorriu.
- Enfim, e eu sou Mary Wason. - Mary se apresentou.
- Esses são Paul, Kevin, Joseph e Nicholas. - Ela disse apontando para cada um. - E é claro,o Frankie.
- Só Joe e Nick, por favor. - Nicholas pediu.
- Tudo bem. - Selena e Demi disseram juntas.

[...]

- Anda logo Selena, eu quero chegar hoje. - Demi reclamou jogada no sofá da sala.
- PARA DE RECLAMAR! - Selena gritou do andar de cima.
- ENTÃO VAI LOGO! - Demetria resmungou alto.

Selena desceu as escadas correndo, pegou a bolsa no sofá, puxou Demi pela mão e as duas mandaram beijos para Mary. Quando saíram de casa viram os meninos prestes a sair.

- Querem uma carona? - Nick perguntou.
- Sim! - Demi gritou puxando Selena até o carro. - Amém, finalmente alguém em pleno juízo. - Resmungou.
- Porque? - Kevin perguntou rindo.
- A Selena demora mais que noiva.
- Mentirosa. Eu demorei meia hora só. - Selena se defendeu.
- SÓ?  - Joe disse se divertindo.
- A Demi demora bem mas se quer saber. - Selena dedurou. - Agora chega disso, quero conversar sobre outra coisa.
- Tudo bem. - Nick concordou. - Quais são as aulas de vocês hoje?
- Álgebra, Biologia, Física, Laboratório, Português e Inglês. - Demi respondeu consultando seu horário plastificado.
- Que dia hein. - Joe gemeu.
- Tá falando o que? - Kevin disse. - Tem as mesmas aulas hoje, você e o Nick.
- Really? - Selena perguntou.
- Serio. - Nick confirmou contra gosto.
- Pelo menos não vão ficar perdidos. - Demi consolou.
- É.

Demi saiu do carro e olhou em volta. Fez careta ao ver que nada tinha mudado.

- Por que todo mundo tá olhando para a gente? - Nicholas perguntou  constrangido.
- Por que vocês estão com as Queens do colégio. - Selena respondeu dando os ombros.
- Vocês são as...rainhas? - Joe perguntou.
- Sim. - Demi respondeu. - E banimos as bad queens daqui.
- Por que? - Kevin perguntou enquanto seguia as meninas.
- Porque elas eram causadoras de problemas. - Selena disse. - E no meu colégio, ninguém humilha ninguém. E ninguém é melhor que ninguém. Todos são perfeitos e igualmente importantes. - Ela disse sorrindo.

Os meninos olharam abismados para elas. Selena podia ter seu jeito meio patricinha, delicadinha. mas ela tinha um coração enorme e uma alma caridosa. E Demi não ficava muito atrás não. Eles pararam em frente de dois armários, (P.S: Os armários de lá eram tipo, uma coluna com um armário, não uma coluna com dois armários) um rosa bebê com algumas listras rosas com diferentes tonalidades escrito com letras estilo Sylfaen preto com brilho " GOOD QUEEN - SELENA MARIE GOMEZ." E o outro era vermelho e estava escrito a mesma coiso do mesmo jeito do que o armário da Selena, só o que mudava era o nome. As meninas abriram o armário e mostraram os dos meninos que ficavam do lado do delas. Retiraram o material da primeira aula e foram para o refeitório.




_________________________

Olá garotas, tudo bem? Enfim esse é o começo da nova fanfic. O capitulo um definitivamente não tem muita importância....mas o dois as coisas começam a se encaixar...prontas para um piece? ahaha'

No próximo capitulo:

" Demi tomou ar e começou.

- Litlle Wenthyndith era um lugar muito pacato, até uma certa família chegar. - Ela segurou as lágrimas e continuou. - Mas não desconfiávamos de nada. Até uma certa noite, na rua dos Álpicedos. Era noite, se passava de meia noite quando um farol iluminou a rua, deserta. E do nada o Nicholas salvou a Selena. Ele estava a seguindo, mas como ele chegou tão rápido a ela? E como ele fez isso? Como ele sabia que Taylor ia chegar até a Selena?

- Você me conhece? - Taylor perguntou reprimindo um sorrisinho.
- Obvio, não é mesmo Jack? - Jack a [olhou demetria] fitou assustado e deu um leve sorriso.
- Você se lembra de alguma coisa? - Jack perguntou.
- As lembranças, sonhos ou seja lá o que seja vem como flashes para nós. - Demetria apontou para si mesma e Selena.
- Ah. - Kevin disse.

Demetria tomou uma golfada de ar e continuou:

- Então, novamente de madrugada algo estranho acontece no Calpideos, número 5. - Os Jonas, Taylor e Jack gelaram na hora. - E os boatos se confirmaram corretos, apesar de ninguém saber ao certo quem foram que mataram Victoria Araujo. - Todos da sala relaxaram. - Todos menos duas pessoas, que casualmente estão nessa sala...."

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Sinopse.

Sinopse: "Selena estava pinturada na janela, lutando contra suas pálpebras que caiam e que a garota logo as abria, inconsciente de seu ato. Olhou novamente a rua deserta, iluminando o meio fio pela forte luz do poste. Piscou duas vezes quando um farol iluminou a rua mas ainda. O carro estacionou na casa ao lado da Rua dos Álpicedos, número 4. A menina saiu correndo, foi para a frente do espelho, fez uma cara sonolenta e foi para a janela como quem não queria nada. Deixou os olhos vagarem pela rua e pararem em Nicholas, que sorriu abertamente ao ver a cara amassada de sono da menina. - claramente fingindo, em um talento excepcional. Ela acenou brevemente, e fechou a janela, puxando a cortina floral logo em seguida. Sorriu consigo mesma e no outro segundo estava jogada na cama, ressonando tranquilamente. Talvez, inconsciente do sentimento que surgia a partir daquele momento."